Utilizador não identificado. (Entrar)
 
 
Fotografia de Fernanda  Ledesma
Carta aberta das Associações de Professores sobre o projeto “Currículo para o Século XXI”
por Fernanda Ledesma - Sexta, 17 Março 2017, 18:03
 

Procedemos à divulgação da Carta Aberta subscrita por 14 Associações de Professores sobre o Projeto de Currículo para o Século XXI e Perfil dos Alunos à saída da Escolaridade de 12 anos, por nos parecer da máxima importância.

A Associação Nacional de Professores de Informática(ANPRI) manifesta o seu apoio às iniciativas, no âmbito do currículo, na definição das aprendizagens essenciais, promovidas pelo Ministério da Educação, de repensarmos entre todos - não apenas por parte dos gestores das políticas educativas - o lugar e o papel da educação e da escola, nomeadamente da escola pública, pilar fundamental para a integração social e a equidade em convivência democrática.

Nesta primeira fase, esse desígnio materializou-se no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e na definição de Aprendizagens Essenciais para cada área curricular e ano de escolaridade.

Estamos conscientes de que a adoção do Perfil dos alunos à saída da Escolaridade Obrigatória e das Aprendizagens Essenciais não vai mudar, nem melhorar, por si só, o estado da educação no nosso país. Dotar de sentido a função e o trabalho desenvolvido por todos os atores implicados no processo educativo, nomeadamente professores e alunos, é o grande desafio. Para que tal aconteça, não há nada mais importante do que a motivação, que deve ser ao mesmo tempo intrínseca e extrínseca. Para conseguirmos uma escola de excelência é indispensável uma melhor gestão do trabalho pedagógico, assim como orientações e práticas didáticas bem articuladas. Se não acontece de forma extensiva na atualidade é porque não existem, de facto, as condições para que tal aconteça. Assim, além das iniciativas agora promovidas pelos responsáveis das políticas educativas, consideramos indispensável a adoção paralela das medidas e condições que permitam:

a. a valorização do papel estratégico da educação e a proteção da escola pública na construção do futuro de Portugal;

b. a eliminação da precariedade endémica de que padece a escola com o fim de dignificar e rejuvenescer a profissão, tornando a docência uma opção desejada;

c. a articulação coerente entre os princípios, os valores e as competências enunciados no Perfil, a sua concretização curricular e a sua posterior operacionalização;

d. a adoção de mecanismos contrastados de controle e avaliação da qualidade da educação nas suas diferentes dimensões;

e. promoção da investigação e da inovação pedagógica e didática que fomentem a eficiência e excelência do sistema educativo.

No âmbito deste processo, a ANPRI recolheu informação e auscultou a opinião dos professores de informática. Assim, sendo, para concretizar o percurso que temos vindo a definir, entendemos que este processo deve avançar.